Após um primeiro grande ato da educação o #15M contra os cortes do governo Bolsonaro, mais uma vez as ruas foram inundadas por estudantes, trabalhadores e movimentos  sociais em luta, numa grande “balbúrdia, contra os cortes e num chamado para a grande greve geral, que acontecerá no dia 14 de Junho.

No 30 de maio, São Paulo e Rio de Janeiro tiveram as maiores mobilizações, segundo estimativas da UNE – União Nacional dos Estudantes: 1,8 milhão pessoas foram às ruas no país. Os atos tiveram como bandeiras a defesa educação pública e contra a reforma da previdência do governo Bolsonaro, superando as expectativas dos organizadores.

Apesar das forças das ruas, o governo não recuou da proposta de corte na educação federal, nem da reforma da previdência,  o que faz o movimento da próxima sexta-feira ter a chance de ser um grande marco nas lutas populares contra as reformas anti-povo.

A greve geral do dia 14 de Junho, o #14J já está com uma forte mobilização. As grandes centrais sindicais de todo o País, mobilizaram os trabalhadores de diversas categorias e estão convocando a massa para estar nas ruas em protesto contra o projeto do governo de reforma da previdência. Também fazem parte das reivindicações temas como maior geração de empregos formais, retomada do crescimento da economia e cortes na educação.

No #30M o Coletivo Fotoguerrilha esteve mais uma vez nas ruas, acompanhando as manifestações populares contra o desmonte da educação e contra a criminosa reforma da previdência, por um governo que segue cada vez mais sendo rejeitado pelo povo e agora sob questionamento ético, após os vazamentos de conversas entre uma de suas figuras centrais: o Ministro Sergio Moro.

O #14M certamente vai ser maior e estaremos realizando também uma grande cobertura documental . Confira alguns registros do nosso coletivo dos atos do #30M no Rio de Janeiro e em São Paulo:

Texto escrito por Bárbara Dias