Às ruas, é preciso. Ato 13J contra Bolsonaro em São Paulo

Texto e fotos por Kauê Pallone

O centro de São Paulo foi palco de mais uma demonstração de luta contra o genocídio praticado pelo governo brasileiro.

Diante de todas as acusações que cercam Bolsonaro, as mortes permitidas pelo seu governo e a sua presidência levada nas coxas, milhares dos sobreviventes nesse cotidiano pandêmico preferiram se arriscar nas ruas enfrentando o aparato da polícia militar e, é claro, a pandemia.

 

 

Utilizando máscaras e tentando ao máximo praticar o distanciamento social enquanto são cercados por policiais militares, centenas de manifestantes ocuparam as ruas do centro da cidade. A concentração começou às 16hr com poucas pessoas ocupando a área à frente das escadarias do Teatro Municipal, mas não demorou muito para que os trabalhadores que começavam a sair de seus serviços se juntassem à manifestação.

Quando o relógio batia 18hrs já tínhamos um ato forte e capaz de demonstrar a indignação de todos os brasileiros nesse pesadelo que vivemos, anos difíceis e um governo com viés fascista. O cerco policial já era maior e havia a incerteza se o ato poderia sair em caminhada sem sofrer repressão, pessoas que chegavam também eram revistadas pela PM.

A saída do ato aconteceu, o trajeto foi feito pela Avenida São João, até a Ipiranga sentido à Praça da República.

Quando chegou à praça, os manifestantes iniciaram um jogral que foi interrompido por uma certa confusão causada pela Polícia Militar que tentou começar uma tumulto para dispersar o ato.

De acordo com pessoas que estavam próximas à ação da PM, um homem teria sido  agarrado por um dos policiais e levado para o meio de um outro grupo de milicos.

 

 

A partir desse momento o ato foi encerrado, mas algumas pessoas ficaram na praça junto à advogados para aguardar respostas do comando policial sobre o manifestante supostamente preso.

Depois de uma movimentação dos policiais foi dito que o homem havia sido averiguado e nada foi encontrado com ele, por isso foi liberado. Até onde averiguamos ninguém teve contato com o homem que havia sido detido antes ou depois da tentativa de prisão.

 

 

Atos contra o governo Bolsonaro ocorreram por todo o Brasil, no Rio de Janeiro nos chegou a informação de que pessoas foram presas no final do ato, na região da candelária, mas até o final dessa reportagem não tivemos atualização. Uma próxima manifestação está marcada para  o dia 24 de junho em todo o Brasil.

 

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo