Por Ana Júlia, Bárbara Dias e Kauê Pallone

Texto por Bárbara Dias

Em reação a liminar que permite a “cura gay” foi realizado um grande ato “Ser LGBTQA+ Não é Doença: nenhum direito a menos e contra os retrocessos” que reuniu milhares de manifestantes na Alerj nessa sexta (22). O ato pedia o fim da patologização das pessoas trans, o fim dos estupros corretivos contra as mulheres lésbicas e dos homens trans, a manutenção da resolução 01\99 do Conselho Federal de Psicologia, a laicidade do Estado e o fim dos crimes de ódio contra LGBTIQA+ entre outras pautas, em tom de crítica ao extremo conservadorismo que tem demonstrado o judiciário. A concentração, ocorreu nas escadarias da ALERJ, e o ato seguiu pela Av. Primeiro de Março, Candelária, Rio Branco sendo encerrando na Cinelândia.

Confira a cobertura do nosso coletivo:

 

Ana Júlia

22092017-IMG_5473 22092017-IMG_5475 22092017-IMG_5481 22092017-IMG_5489 22092017-IMG_5492 22092017-IMG_5513 22092017-IMG_5547 22092017-IMG_5584 22092017-IMG_5591 22092017-IMG_5617


Bárbara Dias

BarbaraDias9 BarbaraDias8 BarbaraDias7 BarbaraDias6 BarbaraDias5 BarbaraDias4 BarbaraDias3 BarbaraDias2 BarbaraDias1

BarbaraDias10 (1)

 


 

 

Kauê Pallone

logo 1 logo 2 (1) logo 2 logo 3 logo 4 logo 5 logo 6 logo 7 logo 9 logo 10